Aeroporto Internacional de Porto Velho

Foto: Infraero
Atualizamos os números operacionais do Aeroporto Internacional de Porto Velho, no Mato Grosso. Neste trabalho inédito apresentamos informações do histórico de passageiros embarcados e desembarcados no aeroporto de 2000 a 2020, a participação de mercado das empresas em operações domésticas nos últimos 5 anos, entre 2016 e 2020, e finalizando com os voos vigentes no aeroporto.

Vejam os números operacionais do aeroporto, atualizados pelo Portal Aviação Brasil

Participação de mercado dos últimos 5 anos, das empresas que operam em Porto Velho, voos domésticos de passageiros

Um pouco da história

Em 16 de abril de 1969, o Aeroporto Belmont, como era chamado o aeródromo local, foi inaugurado oficialmente na capital de Rondônia, Porto Velho, próximo ao centro da cidade. Em meados de 1970, o aeródromo do Cayari, onde se operava os voos de Porto Velho, encontrava-se invadido pela malha urbana e as dimensões da pista não comportavam aeronaves de médio porte. Com isso foram realizados estudos para a construção do novo aeroporto. Na verdade, no início dos anos 1970, o aeroporto era o de Belmont, que recebeu os voos do Cayari e contava com uma pista de pouso e decolagem, pátios das companhias aéreas, check-in e um canteiro de obras da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica – Comara. Em 1979 o Aeroporto de Porto Velho passou à administração da Infraero. Visando a interiorização e o fortalecimento da Força Aérea Brasileira – FAB, na defesa das fronteiras da Amazônia, foi criada a Base Aérea de Porto Velho, em maio de 1983, e inaugurada em outubro de 1984, com apenas uma aeronave. Posteriormente, novos aviões chegaram à Base ampliando o suporte ao Exército que atua na fronteira do Brasil com a Bolívia. Com uma parceria entre o Governo Federal e Governo de Rondônia, no ano de 2002 iniciaram-se as obras do aeroporto que passou à categoria de internacional. No mesmo ano sua denominação oficial ficou Aeroporto Internacional de Porto Velho – Governador Jorge Teixeira de Oliveira, em homenagem ao político que lutou bravamente pela transformação de Rondônia em Estado. Em 2011 foram realizadas importantes obras como a reforma do terminal de passageiros, a recuperação e adaptação das salas de embarque e desembarque, da praça de alimentação, incluindo instalação de piso, forro e revestimentos, divisória retrátil e esquadrias e a substituição das esteiras de bagagem da área de check-in, entre outras. Em 10 de novembro de 2014 inaugurou a nova Seção Contra Incêndio (SCI) com uma área construída de 5,2 mil m², sendo 651 m² somente para abrigar os carros de combate a incêndios disponíveis no aeroporto. Entre as facilidades disponíveis, estão alojamentos completos para a alocação, descanso e treinamento dos bombeiros, depósitos de equipamentos, áreas de abastecimento rápido e integração com a área de treinamento com fogo. O aeroporto tem capacidade para receber até 3,3 milhões de passageiros por ano. A proximidade com o centro da cidade – apenas 7 km de distância – torna o aeroporto um ponto atrativo da capital. Entre as melhorias da Infraero para o aeroporto está o sistema Elo, conjunto de conectores climatizados que ligam as aeronaves às salas de embarque e desembarque, garantindo a chegada ou partida de viajantes com acessibilidade, conforto e segurança. A Infraero realizou em 2019 as obras de recuperação dos pavimentos flexíveis da pista e pátio do aeroporto.

Voos em Operação

Publicidade