Foto: Infraero
Atualizamos os números operacionais do Aeroporto de Paulo Afonso, na Bahia. Neste trabalho inédito apresentamos informações do histórico de passageiros embarcados e desembarcados no aeroporto de 2004 a 2020, a participação de mercado das empresas em operações domésticas nos últimos 5 anos, entre 2016 e 2020, e finalizando com os voos vigentes no aeroporto.

Vejam os números operacionais do aeroporto, atualizados pelo Portal Aviação Brasil

Participação de mercado dos últimos 5 anos, das empresas que operam em Paulo Afonso, voos domésticos de passageiros

Um pouco da história

Os dados antes do ano 2000 estão sendo levantados pela equipe de dados do Aviação Brasil.

Voos em Operação

Completou, no último dia 23 de dezembro, 45 anos de operações o Aeroporto de Paulo Afonso. Localizado ao norte da Bahia, o terminal está situado em uma área estratégica, oferecendo apoio cidades que fazem fronteira com a Bahia, como Delmiro Gouveia (AL), Petrolândia (PE) e Canindé do São Francisco (SE), além de atender aos moradores da própria cidade e de municípios vizinhos. Devido ao gigantesco parque hidrelétrico que se estende em todo seu território e cidades vizinhas, a cidade de Paulo Afonso se destaca no setor secundário, e é uma das cidades baianas com um dos maiores PIB do estado. A região também se sobressai no desenvolvimento da piscicultura, principalmente na criação de Tilápias, atraindo grandes indústrias para a fabricação de rações e afins. No turismo, o destaque vai para os cânions do Xingó, em Sergipe (SE), que ficam a cerca de 75 km do terminal baiano. Lá, os aventureiros adeptos do ecoturismo podem apreciar as belezas da região e das águas verdes e cristalinas do Velho Chico. Para o superintendente do aeroporto, Erivaldo Cruz, recém nomeado no mesmo mês do aniversário do terminal, o aeroporto desempenha um papel de grande importância no apoio ao complexo hidrelétrico da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf). “Passam pelo terminal empresários, investidores e executivos que movimentam o eixo da economia local, além de turistas aventureiros, adeptos do ecoturismo, que são atraídos pelos famosos cânions do Xingó, o que faz do terminal um facilitador do desenvolvimento da região ”, acrescenta Erivaldo. Atualmente o terminal, que tem capacidade para receber 600 mil passageiros por ano, conta com voos regulares duas vezes por semana da companhia Azul, ligando Paulo Afonso a capital baiana, Salvador. O sítio aeroportuário possui uma área de 1.466 milhões de metros², terminal de passageiros com 1.510 metros² e uma pista de pousos e decolagens com 1.800 metros de comprimento por 45 metros de extensão, além de 15 posições no pátio para aeronaves. O aeroporto foi construído em 1970 com o objetivo de atender o desenvolvimento da região, uma vez que na época a Chesf impulsionava o crescimento local com a construção do Complexo Hidrelétrico Paulo Afonso. Em dezembro de 1972 o terminal foi inaugurado e pertencia ao Departamento de Aviação Civil (DAC), sendo transferido para a Infraero em 1980.