Boeing estima mercado de novos aviões comerciais em US$ 2,1 trilhões

6

A Boeing prevê um mercado de US$ 2,1 trilhões em novos aviões comerciais nos próximos 20 anos. A demanda do setor mais do que dobrará o tamanho da frota de aeronaves comerciais em 2024 e acomodará uma estimativa de aumento anual de 4,8% no crescimento no tráfego de passageiros.

A companhia anunciou hoje a sua Previsão de Mercado de 2005 (Current Market Outlook), em Londres. O Relatório, disponível na Internet (http://www.boeing.com/commercial/cm o/), é considerado a mais abrangente e respeitada análise do mercado de aviação comercial.

“A demanda de longo prazo para novos aviões continuará muito expressiva nos próximos 20 anos”, declarou o vice-presidente de Marketing da Boeing Commercial Airplanes, Randy Baseler. “As pessoas continuarão querendo chegar aos seus destinos e isto se reflete no número e nos tipos de avião da nossa previsão.”

Em termos de entregas, o maior mercado é o da região Ásia-Pacífico, com 36% do total de US$ 2,1 trilhões.

A Boeing prevê uma necessidade de aproximadamente 25.700 novos aviões comerciais (passageiros e carga) durante os próximos 20 anos. Mais de 80% deles serão da categoria single-aisle (um corredor) ou mid-size twin-aisle (médios com dois corredores). Isto está de acordo com a projeção do ano passado, de um mercado de 25.000 aeronaves comerciais, avaliados em US$ 2 trilhões.

Nos próximos 20 anos, as companhias aéreas entregarão aproximadamente:

· 3.900 jatos regionais
· 15.300 aviões de um corredor
· 5.600 aviões médios de dois corredores
· 900 aviões do tamanho do 747 ou maiores (aproximadamente 450 aeronaves com 400 a 500 assentos e aproximadamente 450 aviões com 500 assentos ou mais)

As entregas resultarão em uma frota mundial de mais de 35.000 aeronaves.

“Os aviões de um corredor dominarão o mercado nos próximos 20 anos porque eles possibilitarão a oferta de mais freqüências e menos escalas nos vôos domésticos e internacionais de curta distância”, declarou Baseler.

“As companhias aéreas aumentarão as suas frotas com aeronaves médias de dois corredores para operar em mercados de longa distância em rotas através do Pacífico e Atlântico. Aeronaves muito grandes, do tamanho do Boeing 747 ou maiores, responderão por pouco mais de 3% das entregas de aviões nas próximas duas décadas.”

A Boeing está liderando o mercado com uma família de aviões que permite aos clientes aumentar a eficiência, a rentabilidade e a oferecer vôos diretos, ponto a ponto, e mais opções de freqüências aos passageiros.

FONTE: Aviação Brasil / Boeing – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Deixe uma resposta