Aeroporto de Marabá
Foto: Infraero

Atualizamos os números operacionais do Aeroporto de Marabá, no Pará. Neste trabalho inédito apresentamos informações do histórico de passageiros embarcados e desembarcados no aeroporto de 2000 a 2020, a participação de mercado das empresas em operações domésticas nos últimos 5 anos, entre 2016 e 2020, e finalizando com os voos vigentes no aeroporto.

Vejam os números operacionais do aeroporto, atualizados pelo Portal Aviação Brasil

Participação de mercado dos últimos 5 anos, das empresas que operam em Marabá, voos domésticos de passageiros

 

Um pouco da história

O Aeroporto de Marabá foi nascendo aos poucos, atendendo as demandas da população marabaense e região. Primeiro foi criado um campo de pouso que depois passou para categoria de aeródromo até se transformar em aeroporto.

A primeira pista, situada no mesmo local da atual, com 400 metros de comprimento, foi inaugurada em 17 de novembro de 1935, com o pouso do Monomotor Waco CSOC-27, do Correio Aéreo Militar, pilotado pelo Coronel Lysias Rodrigues.

Nos anos 40 a Panair do Brasil operava a rota Belém – Cametã – Baião – Marabá – Imperatriz – Balsas – Floriano – Teresina – Parnaíba – Fortaleza e a Cruzeiro do Sul a rota Parnaíba – Repartição – Teresina – Floriano – Benedito Leite – Carolina – Imperatriz – Marabá – Baião – Cametá – Belém.

Em 1946 a pista recebeu um reforço e foi ampliada para 1.200 metros, sendo o campo de pouso administrado pela Força Aérea Brasileira – FAB.

Nos anos 50 foi a vez da AeroNorte iniciar duas rotas no aeroporto, a Fortaleza – Crateús – Caxias – Grajaú – Tocantinópolis – Marabá – Belém e Fortaleza – Marabá – Belém.

No biênio de 1966/67, a pista foi ampliada para 2 mil metros e asfaltada pela Comissão de Aeroportos da Região Amazônica – COMARA.

O pátio de estacionamento de aeronaves e a pista de táxi foram construídos em 1973, já no mesmo local do atual aeroporto.

Com a soma dos esforços da Força Aérea Brasileira – FAB e da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia – SUDAM, em 1978, o pátio e a pista sofreram reformas visando ampliar o aeródromo para permitir a operação de aeronaves a jato como o Boeing 737 e 727. Também foi construída uma nova estação de passageiros, através da COMARA.

Em 20 de maio de 1978 o atual aeroporto de Marabá foi inaugurado e, no dia 1º de outubro de 1979, pousava em Marabá o primeiro Boeing 737-200 da empresa aérea Varig/Cruzeiro.

A Infraero assumiu o aeroporto no dia 3 de novembro 1980. Nos anos 1980, auge da exploração do ouro em Serra Pelada, havia uma ponte aérea Marabá-Serra Pelada operada pela Votec com voos regulares do avião E-110 Bandeirantes, além de inúmeros voos diários das empresas de táxi aéreo.

Em 2001, foi criada a Unidade de Telecomunicações de Marabá, UT-Marabá, do Sistema de Vigilância da Amazônia-SIVAM, com uma área de aproximadamente 48.056,50m2, localizada a sudeste da cabeceira 25 e confrontando com a Rua do Aeroporto.

Em homenagem a um grande empresário e jornalista, fundador do periódico Notícias de Marabá, que se dedicou a nobres causas comunitárias e ao crescimento e desenvolvimento da região, em abril de 2010 o aeroporto de Marabá recebeu o nome de João Corrêa da Rocha.

O Aeroporto de Marabá situa-se à margem esquerda do Rio Itacaiúnas, no local denominado Quindangues. É limitado ao norte por terrenos de terceiros, a leste pelo Bairro do Amapá, ao sul pela BR-230 (Rodovia Transamazônica).

Em abril de 2019 a Infraero entregou as obras de reforma e ampliação do Aeroporto. Com investimento total de R$ 11,4 milhões, os trabalhos aprimoraram os níveis de segurança e conforto do terminal paraense, com mais comodidade aos usuários e passageiros.

As obras como um todo, foram realizadas em duas etapas distintas sendo a última um aumento de 40% na área do terminal, que passou de 1.248,95 m² para 1.756,60 m². A capacidade de passageiros também foi ampliada em 25%. Antes, o terminal podia receber cerca de 1,2 milhão de viajantes anualmente e agora são 1,5 milhão de passageiros.

O aeroporto ganhou novos balcões de check-in, totalizando 16 unidades, além de novos carrosséis de restituição de bagagens, somando duas unidades. Os banheiros também foram totalmente reformados e ampliados; e toda a edificação foi adequada para atendimento às normas de acessibilidade.

Para o superintendente do aeroporto de Marabá, Wigson Diego Saturnino Santos, a entrega das obras simboliza um novo momento para a cidade. “Estamos entregando um aeroporto moderno, à altura da cidade de Marabá. Com isso, esperamos que o terminal, além de servir bem à sociedade, contribua ainda mais com o desenvolvimento da região”, afirmou.

Localizado na cidade conhecida como um dos principais centros administrativos e econômicos do Pará, o terminal cumpre papel fundamental na integração e acesso às cidades vizinhas, além de ligar a cidade a outros quatro destinos nacionais.

Voos em Operação

 

 

Deixe uma resposta