Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU Airport)

21649
Aeroporto Internacional de São Paulo; GRU Airport;, Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU Airport), Portal Aviação Brasil

Em 20 de janeiro de 2019 o Aeroporto Internacional de São Paulo, GRU Airport, completou 34 anos de operações. A Infraero, administrou o aeroporto desde sua inauguração, em 20/01/1985, até 6 de fevereiro de 2012, quando o consórcio formado pelas empresas Invepar (Investimentos e Participações em Infraestrutura S.A.) e ACSA (Airports Company South Africa) foi anunciado o vencedor do leilão de concessão do Aeroporto Internacional de Guarulhos, e passou a administrá-lo.

Com a assinatura do contrato foi formada a Concessionária do Aeroporto Internacional de Guarulhos S.A., com 51% das ações pertencentes à Grupar (grupo Invepar e ACSA) e 49%, à Infraero. Dos 51% da iniciativa privada, a Invepar tem participação de 80% e a ACSA, de 20%.

Vejam os números operacionais do aeroporto, atualizados pelo Portal Aviação Brasil.

Em 2018 o volume de passageiros que chegaram e saíram do aeroporto cresceu 11,62%. Houve uma retomada no crescimento do mercado doméstico que impulsionou os números de Guarulhos.

Aeroporto Internacional de São Paulo; GRU Airport;, Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU Airport), Portal Aviação Brasil

Veja os números totais de embarcados, doméstico e internacional, por companhia aérea e o quanto cresceu comparado com 2017.

Aeroporto Internacional de São Paulo; GRU Airport;, Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU Airport), Portal Aviação Brasil

Um pouco mais de história…

Ganhando dimensões a cada dia maiores, foi inaugurado em maio de 2013, o edifício garagem , ao lado do Terminal 3 que possui 8 andares, 84 mil metros m² de área construída e capacidade para 2.644 veículos. A praticidade e agilidade são garantidas por um moderno sistema de gestão de vagas, sem contar os caixas automáticos para pagamento e painéis de informação de voos, além do serviço de manobrista 24 horas.

Desde o início da concessão, o GRU Airport passou por uma reformulação das áreas de estacionamento que resultaram na duplicação do número de vagas: o aeroporto passou de 3,9 mil vagas no período pré-concessão para 8 mil atuais.

Em 2/12/2015 o GRU Airport realizou a mudança na numeração de seus terminais, visando estabelecer uma sequência lógica entre eles e, com isso, facilitar a orientação dos passageiros. Com a remuneração, o antigo Terminal 4 passou a ser 1 e os Terminais 1 e 2 foram unificados e passaram a ser o atual Terminal 2. O Terminal 3 manteve sua numeração.

A nova nomenclatura consistiu também na remuneração dos portões de embarque e check-ins, mudança que aconteceu em 17/11/2015. Assim, o Terminal 1, por exemplo, passou a ter portões com numeração a partir de 100. O Terminal 2, a partir de 200, e o Terminal 3, de 300. A mesma numeração vale para as esteiras de restituição de bagagens dos seus respectivos terminais.

Já a identificação dos check-ins por terminal ficaram desta forma: check-in “A” no Terminal 1, check-ins “B”, “C”, “D” e “E” no Terminal 2 e check-ins “F”, “G” e “H” no Terminal 3.

Pátio e Pistas

Para atender aos voos internacionais do Terminal 3, foram construídos dois pátios de aeronaves. Juntos, eles possuem capacidade para 34 aeronaves, sendo 20 com pontes de embarque.

Desde que a Concessionária assumiu a gestão do aeroporto, o número de vagas de aeronaves aumentou de 80 posições no período pré-concessão para 124 atuais.Além disso, foi instalado um moderno sistema de estacionamento automático de aeronaves – VGDS ( Visual Docking Guidance System ), que trouxe maior segurança e eficiência às manobras de estacionamento das aeronaves.

Em fevereiro de 2014, foi autorizada a operação da nova pista de taxiamento. A pista aumenta consideravelmente a eficiência operacional do aeroporto, na medida em que reduz o tempo de movimentação das aeronaves em solo.

Desde agosto de 2015 o aeroporto passou a operar com sistema de aproximação de aeronaves por instrumentos CAT IIIA, que possibilita o pouso das aeronaves em condições de até 200 metros de visibilidade.

Para operação neste sistema, além do aeroporto, as aeronaves precisam estar equipadas e os pilotos treinados e certificados para operar o CAT IIIA.

Distribuição dos Voos Domésticos em Guarulhos

Aeroporto Internacional de São Paulo; GRU Airport;, Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU Airport), Portal Aviação Brasil

Fonte: Infraero e GRU Airport (editado por Aviação Brasil)

Aeroporto Internacional de São Paulo; GRU Airport;, Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU Airport), Portal Aviação BrasilAeroporto Internacional de São Paulo; GRU Airport;, Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU Airport), Portal Aviação Brasil

Deixe uma resposta