Autonomia do Airbus A220 irá aumentar!

114

A Airbus anunciou que a família A220, a mais recente adição ao seu portfólio de aeronaves de corredor único, jatos antes conhecidos como CS100 e CS300 da Bombardier, passará a oferecer maior alcance a partir da segunda metade de 2020.

A companhia confirmou que o peso máximo de decolagem (ou MTOW*, no original em inglês) das aeronaves A220 será aumentado em 2.268 Kg, ou 2,3 toneladas métricas. O novo MTOW aumentará a capacidade de alcance do A220-300 para 3.350nm e do A220-100 para 3400nm, o que representa 450nm a mais do que o total atual.

“De acordo com a tradição da Airbus, estamos constantemente aprimorando nossos produtos,” disse Christian Scherer, Chief Commercial Officer da Airbus. “Com o novo MTOW, os operadores poderão alcançar novos mercados que atualmente não podem ser alcançados com outros tipos de aeronaves de pequeno porte e corredor único.”

“Desde que foi colocada em operação há quase três anos, a aeronave A220 já provou que está batendo ou até mesmo superando suas metas de performance iniciais, garantindo maior flexibilidade e potencial de receita aos nossos clientes,” disse Rob Dewar, Head of Engineering & Customer Support para o A220. “Hoje em dia, a Airbus está reforçando sua confiança na plataforma do A220, além de aprimorar ainda mais suas capacidades de modo a atender futuras exigências do mercado.”

O novo ganho em desempenho é atingido por meio do aproveitamento de margens estruturais e sistêmicas que já existem, além da capacidade de combustível existente. Isso permitirá que companhias aéreas desenvolvam novas rotas até então impossíveis, conectando as principais cidades da Europa Ocidental com o Oriente Médio ou o Sudeste Asiático com a Austrália.

O A220 foi criado visando explicitamente a eficiência de voo. Com aerodinâmica de ponta, materiais avançados e a última geração de motores turbofan PW1500G da Pratt & Whitney, essa aeronave oferece uma queima de combustível por assento pelo menos 20% mais baixa em comparação com aeronaves da geração anterior.

Com um histórico de pedidos contabilizando mais de 530 aeronaves até o momento, o A220 possui todas as credenciais necessárias para conquistar a maior parte do mercado de aeronaves com capacidade entre 100 e 150 assentos. Estima-se que isso representará 7 mil aeronaves ao longo dos próximos 20 anos.

1 COMENTÁRIO

  1. Sobre a família A220, quem diria: depois de perderem dinheiro com o Golias A380, se voltam agora para o Davi; O mercado é implacável.

Deixe uma resposta