Uma versão modificada do Boeing 737 MAX voltará a voar na Europa após a aprovação da Agência europeia de Segurança da Aviação (EASA).

A EASA determinou um pacote de atualizações de software, retrabalho de parte elétrico, verificações de manutenção, atualizações dos manuais de operações e treinamento da tripulação para permitir que o avião voe com segurança na Europa.

“Alcançamos um marco significativo em um longo caminho”, comentou o diretor executivo da EASA, Patrick Ky. “Após extensa análise da EASA, determinamos que o 737 Max pode retornar com segurança ao serviço. Essa avaliação foi realizada em total independência da Boeing ou da Administração Federal de Aviação e sem qualquer pressão econômica ou política – fizemos perguntas difíceis até que obtivéssemos respostas e pressionasse por soluções que satisfizessem nossos requisitos de segurança exigidos. Realizamos nossos próprios testes de voo e sessões de simulador e não contamos com outros para fazer isso para nós.”

“Deixe-me ser bastante claro que esta jornada não termina aqui. Temos toda a confiança de que a aeronave está segura, que é a pré-condição para dar nossa aprovação. Mas continuaremos monitorando as operações do 737 Max de perto enquanto a aeronave retoma o serviço. Paralelamente, e por nossa insistência, a Boeing também se comprometeu a trabalhar para melhorar ainda mais a aeronave no médio prazo, a fim de alcançar um nível ainda maior de segurança.”

O Boeing 737 Max já foi aprovado para uso nos EUA, Canadá e Brasil.

Deixe uma resposta