Como os millennials impactarão o segmento de viagens corporativas

60
millennials, Como os millennials impactarão o segmento de viagens corporativas, Portal Aviação Brasil
Foto: Alexandre Barros

De acordo com as previsões do Boston Consulting Group, os millennials serão responsáveis por quase 50% dos gastos com viagens até 2020. Esses números ressaltam a importância dos players da indústria de viagens aprenderem como lidar com as necessidades específicas dos millennials, visando aproveitar essa potencial fonte de lucro.

Embora adotar novas tecnologias seja crucial para atender os millennials com experiência digital, entender profundamente o que impulsiona esse importante grupo demográfico é fundamental para permanecer relevante nesse ambiente dinâmico.

A tecnologia é o caminho para o sucesso

A imagem do millennial obcecado pelo celular se tornou um clichê exagerado, porém é fundamentada na verdade e traduz uma transformação nos hábitos de viagem. De acordo com os dados da GSMA, em 2018 foram 442 milhões de usuários de dispositivos mobile na América Latina, representando 68% do total da população na região. Esse aumento no uso de smartphones é incentivado pelos consumidores chamados millennials. Ao reproduzirmos esse cenário com as viagens, nos deparamos com uma geração que exige uma experiência altamente otimizada e personalizada, impulsionada pela tecnologia.

Vantagens do trabalho

Cerca de 90% dos millennials consideram as viagens como um benefício profissional, e 39% afirmam que não aceitariam um emprego que não oferecesse oportunidades de viajar. Esses números destacam a importância das políticas de viagens corporativas no panorama atual. No entanto, apenas oferecer mais oportunidades de viagens não será suficiente para satisfazer as necessidades dos funcionários millennials. De acordo com a pesquisa “Future Traveller Tribes 2030”, encomendada pela Amadeus, os millennials dão mais importância a um equilíbrio saudável na vida profissional se comparados com seus colegas mais velhos. Conforme o bem-estar do viajante emerge como pilar central de uma política de viagens relevante, as empresas devem prezar pelo duty of care de seus viajantes se quiserem manter os novos talentos. Tais medidas podem incluir a permissão de acesso ao lounge do aeroporto, o tempo de recuperação de viagem e a gestão de disrupções.

Um modelo único já não agrada a todos

Ao crescer em um mundo de empoderamento digital, os millennials têm um desejo crescente de serem reconhecidos como indivíduos. Quando se trata de viajar isso não é diferente, o que leva essa geração a querer um processo de reserva flexível que lhes dê a capacidade de criar uma experiência de viagem personalizada. Com isso, os millennials estão elevando o nível das viagens corporativas, demandando mais opções de hospedagem, fast track, prioridade de embarque, opções de espera e acesso Wi-Fi a bordo. Por meio do investimento em tecnologia, os provedores de viagens podem oferecer jornadas relevantes aos clientes, desenvolvidas especialmente para as necessidades desses indivíduos.

A tendência “bleisure” se baseia nesse clima de experiências de viagem individualizadas. Em consonância com sua vontade de viajar, os millennials estão interessados em aproveitar o tempo gasto no exterior, adicionando alguns dias de lazer à sua viagem. As características das viagens corporativas estão mudando à medida que o limite entre negócios e lazer se torna cada vez mais ambíguo. Ao conceder essa maior flexibilidade na política de viagens, as empresas podem esperar um acréscimo no nível de bem-estar do funcionário, conforme os níveis de estresse diminuem e a satisfação com a viagem aumenta. Em última análise, tomar uma atitude bem planejada e estratégica para gerenciar o bem-estar do viajante formará funcionários melhores e trará resultados mais concretos.

Millennials na América Latina

Na América Latina, a geração de millennials é maior que os Baby Boomers ou que a Geração X. De acordo com a Oracle, a América Latina abriga 176 milhões de millennials, sendo que 30% da população da região tem entre 18 e 34 anos. Esses jovens adultos continuarão mudando a maneira como as marcas fazem negócios e se relacionam com o cliente. Um recente estudo da Mastercard sobre o comportamento dos millenials na América Latina descobriu que 64% deles adotam novos comportamentos e constantemente contestam o “status quo”.

Segundo um relatório da IPK International apresentado durante a ITB Berlim, em 2018 o turismo cresceu 13% na América Latina e as viagens corporativas cresceram cerca de 9% na região.

millennials, Como os millennials impactarão o segmento de viagens corporativas, Portal Aviação Brasilmillennials, Como os millennials impactarão o segmento de viagens corporativas, Portal Aviação Brasil

Deixe uma resposta