A Tam Mro renovou sua certificação para prestar serviços em componentes aeronáuticos e em aeronaves com matrícula nas ilhas Bermudas, território ultramarino do Reino Unido. A nova autorização da BDCA (Bermuda Department of Civil Aviation), autoridade do setor no país, é válida até março de 2013.

A certificação autoriza a Tam Mro a prestar manutenção em mais de 700 componentes aeronáuticos e em aeronaves Boeing B767, Airbus A318, A319, A320, A321 e A330 matriculadas nas ilhas Bermudas. Em março deste ano, a unidade de manutenção da TAM havia obtido pela primeira vez o aval da autoridade aeronáutica na região.

Desde janeiro de 2007, o TAM MRO possui a certificação IOSA (IATA Operational Safety Audit), o mais completo e aceito atestado internacional em segurança operacional. Hoje, também está certificado pelas principais autoridades aeronáuticas do mundo para prestar serviços de manutenção pesada em aeronaves Airbus A318, A319, A320, A321 e A330; Boeing 767; Fokker 100 e ATR 42.

Até 2016, a unidade de MRO pretende crescer 20% em média por ano, como uma unidade de negócios independente na TAM. Para isso, está ampliando sua estrutura e capacidade de operação para fortalecer o atendimento prestado a terceiros. Em cinco anos, a unidade esperar elevar de 15% para 40% a fatia do faturamento total vinculada aos serviços de manutenção aeronáutica fornecidos a outras empresas.

O primeiro passo nesse sentido foi a nomeação de Luiz Gustavo Silva, em agosto passado, como diretor executivo do TAM MRO, que passou a responder diretamente à holding TAM S/A, presidida por Marco Antonio Bologna.

Deixe uma resposta