Aeroporto de Salvador reduz emissão de carbono em mais de 29%

Foto: Will Recarey

Dentre as ações realizadas em prol da sustentabilidade no Salvador Bahia Airport, integrante da rede Vinci Airports, o compromisso com a redução das emissões de carbono tem grande destaque. O gás é uma das principais ameaças à Camada de Ozônio, sendo o próximo dia 16 de setembro a data em que se comemora o Dia Internacional pela Preservação da Camada de Ozônio.

Em 2020, o Aeroporto conquistou o nível 2 da certificação ACA (Airport Carbon Accreditation), concedida pela organização Airport Council International (ACI) e está buscando o engajamento de todos os seus stakeholders para conquistar o nível 3. A meta é reduzir as emissões em 23%, em relação a 2018. Neste ano, até o mês de julho, houve uma diminuição de 29% em comparação ao mesmo período de 2018. A objetivo é chegar a 50% até 2030.

Para alcançar essa meta de proteção ambiental, foi instalada uma usina solar com 4.215kWp de potência, substituição total das lâmpadas por LED, racionamento na utilização dos sistemas iluminação e refrigeração, além de investimento em equipamentos mais modernos, com preferência pela utilização de gases refrigerantes que não contenham CFCs (clorofluorocarboneto).

“O aquecimento global vem se intensificando cada vez mais e é perceptível quando presenciamos mudanças climáticas tão severas nos últimos tempos. A Vinci Concessions está ajudando as pessoas a se locomoverem de uma forma cada vez mais responsável e assim alcançar a transformação da mobilidade. Implementar práticas para reduzir as emissões de CO2 é uma das formas de reforçar o comprometimento para um desenvolvimento sustentável. Dessa forma, nós seremos capazes de desacelerar a intensificação dos gases do efeito estufa”, afirma Alessandra Reis, coordenadora de Meio Ambiente do Salvador Bahia Airport.

Sustentabilidade como pilar

Por fazer parte da rede Vinci Airports, o aeroporto de Salvador segue rigorosos padrões também no que diz respeito à preservação do meio ambiente, sendo reconhecido pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) como o mais sustentável do país. O Salvador Bahia Airport, foi o primeiro no Brasil a ser zero efluente e zero aterro, ou seja, 100% dos efluentes são tratados e convertidos em água de reuso.

Além disso, todo o lixo sólido gerado é reciclado. Recentemente foi implementada a diretriz Plastic Free, adotada por todos os membros da rede Vinci, que tem como objetivo a eliminação do uso de plásticos e embalagens descartáveis e a conscientização das pessoas sobre seus efeitos no meio ambiente, em linha com estratégia ambiental global do Grupo.

Deixe uma resposta