Foto: Alexandre Barros

O Aeroporto Internacional de Campinas, Viracopos, passou por algumas fases bastantes distintas. A primeira, quando era o aeroporto para voos internacionais do Estado de São Paulo, em uma época na qual não existia o aeroporto de Guarulhos e as aeronaves Douglas DC-8, Douglas DC-10, Boeing 707 e Boeing 747 não dispunham de uma pista suficiente em extensão para suas operações de pousos e decolagens em Congonhas.

Numa segunda fase, Viracopos ficou praticamente abandonado, com a abertura de Guarulhos e pouquíssimos voos pousavam ou decolavam daquele aeródromo, com exceção aos cargueiros.

Localizado a 14 quilômetros do centro de Campinas e a 99 quilômetros de São Paulo, o Aeroporto Internacional de Viracopos tem acesso pelas rodovias Santos Dumont, Bandeirantes e Anhanguera.

O velho campo de pouso, como era chamado, tornou-se um dos principais pontos de conexão da América Latina. O Terminal de Logística de Carga de Importação e Exportação possui uma área de mais de 81 mil metros quadrados.

Na década de 90 o aeroporto começou a despontar para o segmento de Carga Aérea Internacional, evidenciando sua vocação cargueira. Além da ampliação da infraestrutura, a modernização dos processos de movimentação da carga e do desembaraço aduaneiro, desenvolvidos através de parceria junto à Receita Federal, tornou o aeroporto referência em logística no cenário nacional.

Desde 1995, a Infraero realiza investimentos para implantação da primeira fase do Plano Diretor do aeroporto, com melhorias nos terminais de cargas e passageiros.

Em 2005 foi entregue a segunda fase da obra de ampliação do terminal de passageiros. A primeira foi entregue no primeiro semestre de 2004, quando o aeroporto passou a contar com novas salas de embarque, desembarque, áreas públicas e concessões comerciais.

Em 3 de julho de 2010 um Airbus A330-200 da TAP retomou os voos regulares de passageiros em Campinas, procedente de Lisboa.

O consórcio Aeroportos Brasil administra o aeroporto desde 14 de junho de 2013. A partir da assinatura do contrato, iniciou-se um período de transição da gestão de Viracopos entre a Infraero e a Aeroportos Brasil Viracopos, que passou a ser concessionária.

A Aeroportos Brasil é formada pelas empresas UTC Participações S.A. (45% de participação), TPI – Triunfo Participações e Investimentos S.A (45%) e Egis Airport Operation (10%). A concessionária é acionista majoritária do Aeroporto Internacional de Viracopos, com 51%. A Infraero (com 49%) continua acionista, conforme determinação do governo federal.

Em 28 de julho de 2017 os acionistas da Concessionária Aeroportos Brasil Viracopos autorizaram a diretoria a iniciar o processo de devolução para que se faça nova licitação e a concessão seja passada para outro grupo, em virtude de uma dívida de R$ 460 milhões relacionada às outorgas devidas ao governo federal. Até a nova licitação, a Aeroportos Brasil Viracopos continua a administrar o aeroporto.

A partir de Viracopos os passageiros podem embarcar para os seguintes destinos domésticos: Aracaju, Araçatuba, Bauru, Belo Horizonte, Bonito, Brasília, Caldas Novas, Campo Grande. Cascavel, Caxias do Sul, Chapecó, Corumbá, Cuiabá, Curitiba, Divinópolis, Dourados, Florianópolis, Fortaleza, Foz do Iguaçu, Goainá, Goiânia, Ilhéus, Jaguaruna, Jericoacoara, João Pessoa, Joinvile, Juazeiro do Norte, Lages, Londrina, Maceió, Manaus, Marília, Maringá, Montes Claros, Natal, Navegantes, Palmas, Parnaíba, Passo Fundo, Petrolina, Ponta Grossa, Porto Alegre, Porto Seguro, Porto Velho, Presidente Prudente, Recife, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Rio Verde, Salvador, São José do Rio Preto, São Paulo, Sinop, Teresina, Três Lagoas, Uberaba, Uberlândia, Valença e Vitória.

Internacionalmente existem voos para: Fort Lauderdale, Lisboa, Orlando e Paris, além de fretamentos pontuais para destinos na América do Sul.

Em 2018 o movimento de passageiros em Campinas ficou praticamente estagnado, com ligeira queda no doméstico e crescimento de 24% no internacional.

Em 2020, Viracopos conquistou um certificado internacional que credenciou o terminal a se tornar um dos principais aeroportos da América Latina a importar e exportar produtos da indústria farmacêutica. Viracopos obteve a certificação global CEIV PHARMA (Center of Excellence for Independent Validators in Pharmaceutical Logistics), emitida pela IATA (International Air Transport Association), que tem por objetivo auxiliar as organizações e toda a cadeia de fornecimento de carga aérea a atingir a excelência na logística de produtos farmacêuticos. Com este certificado, Viracopos passou a ser reconhecido como operador global de cargas de produtos farmacêuticos.

O Aeroporto de Viracopos encerrou o ano de 2021 com recorde histórico de movimentação de carga (em peso) para um ano. O aeroporto processou um total de 364,3 mil toneladas de carga no ano passado somadas as áreas de importação, exportação, remessas expressas (courier) e cargas nacionais.

Em 2021, Viracopos superou a marca dos 10 milhões de passageiros e registrou um aumento de 50,6% no movimento em relação ao ano de 2020. Embarcaram ou desembarcaram pelo terminal do aeroporto no ano passado 10.064.215 passageiros.

Com esta marca acima dos 10 milhões, Viracopos subiu no ranking dos aeroportos mais movimentados do Brasil, figurando entre os três primeiros colocados. Além disso, pela primeira vez na história, o aeroporto superou a marca de 1 milhão de passageiros em um mês (dezembro de 2021).

Com a elevação de demanda em 2021 e perspectiva de continuidade de crescimento de passageiros em 2022, a concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, administradora do aeroporto, intensificou a ampliação de diversas áreas no Terminal de Passageiros, incluindo a reabertura do piso 2 de desembarque a partir do dia 17/12/2021 e a ampliação da praça de alimentação com novos restaurantes e mesas ainda no primeiro semestre de 2022.

A Aeroportos Brasil Viracopos também planeja colocar em operação mais quatro pontes de embarque e desembarque no primeiro semestre de 2022 por causa da expectativa de aumento de fluxo de passageiros. Todas as pontes que serão abertas ficam no chamado Píer B (que atende voos internacionais e nacionais).

Destas quatro pontes, duas serão destinadas aos voos domésticos e as outras duas serão híbridas, ou seja, podem ser usadas eventualmente em voos domésticos ou internacionais. São elas: B11, B12, B13 e B14.

Durante o ano de 2021, a concessionária já havia colocado em operação outras cinco pontes de embarque doméstico no Píer B, sendo elas: B2, B4, B6, B8 e B10. Estas pontes de embarque já estavam com a infraestrutura pronta, mas passaram por obras de acabamento e as escadas rolantes e os elevadores foram colocados em operação. Também foi aberto, no final de 2021, um segundo acesso de passageiros ao Píer B pelo hall de lojas.

O Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), foi eleito o Melhor Aeroporto do Brasil em 2021 na categoria acima de 10 milhões de passageiros/ano em pesquisa de satisfação de passageiros realizada pela Secretaria de Aviação Civil (SAC). Esta é a terceira vez que Viracopos conquista o título anual, sendo que nas duas outras vezes anteriores o aeroporto ganhou na categoria geral, superando 20 aeroportos.

Localidades atendidas e distribuição dos voos domésticos entre as companhias aéreas

Na tabela a seguir, na última linha, vemos qual empresa tem a maior participação na oferta de assentos do aeroporto. A primeira coluna da esquerda informa os destinos atendidos e quais empresas operam a rota. Na coluna da direita, em total geral, significa quais destinos tem a maior participação de voos/assentos a partir do aeroporto.

Comments are closed.