Foto: Alexandre Barros

Terminou ontem a história da Alitalia, companhia italiana que iniciou suas operações após a II Guerra Mundial utilizando aeronaves Douglas DC-4 e Lancastrians.

Em maio de 1948 a Alitalia iniciou os voos entre Roma – Dakar – Natal – Rio de Janeiro – São Paulo – Buenos Aires. Em 1957 adotou o nome Alitalia e aeronaves Convair 340 e Douglas DC-6 foram adicionadas a frota. Pouco tempo depois chegaram os Douglas DC-3, DC-7 e Viscounts. A empresa utilizou várias aeronaves Viscount, Caravelles, DC-8-43, DC-8-62 e DC-9-32.

Os Boeing 747 e DC-10 chegaram para substituir os DC-8-62 nas rotas de longa distância e os Boeing 727 e Airbus A300 substituíram os Caravelles. Nos anos 80, os McDonnell Douglas MD-80 substituíram os Douglas DC-9-32 e DC-9-80. Sendo assim, em 1984 sua frota estava composta por 11 Boeing 747-200, 18 Douglas DC-9-32, 19 Douglas DC-9-82, 3 Douglas DC-10-30 e 8 Airbus A300.

A Alitalia foi a primeira empresa aérea do mundo a encomendar o Airbus A321 em 1990. Naquele ano a empresa operava três voos semanais para o Brasil. Em 1993 o número de voos saltou para 5 semanais, operados com os McDonnell Douglas MD-11. Em 1995 voltou a operar com o Boeing 747-200 na rota. Em 1999, com o crescimento de demanda, a Alitalia passou a operar três voos semanais na rota Rio de Janeiro – Roma com McDonnell Douglas MD-11 e seis voos semanais com o Boeing 767-300ER na rota São Paulo – Roma.

Em 2002 juntou-se a aliança SkyTeam. Em 2003 a Alitalia passou a operar de São Paulo para Milão, cinco vezes por semana e de São Paulo para Roma, duas vezes por semana com o Boeing 767. Em novembro de 2003 o Boeing 777-200ER substituiu o Boeing 767-300ER nestas rotas. Em 13 de janeiro de 2009 foi privatizada e houve integração de rotas com a AirOne, sendo que 25% da companhia passou para o Grupo Air France/KLM.

Em 2015 a Etihad Airways comprou 49% das ações da companhia aérea sendo os outros 51% nas mãos da holding Alitalia.

A companhia passou por um delicado processo financeiro e houve uma nova injeção de capital na aérea, que estava sob intervenção do governo há quatro anos.

A União Europeia tinha severas restrições para aportes financeiros em empresas privadas e diante disso o governo italiano decidiu por encerrar as operações da Alitalia ontem, 14 de outubro de 2021. Em seu lugar decolou a ITA – Italia Trasporto Aereo, um dia depois, sendo esta também, uma estatal italiana

Abaixo o número de passageiros e carga transportada de e para o Brasil nos últimos 5 anos

Rotas operadas nos últimos 5 anos com passageiros de e para o Brasil

Basicamente a Alitalia operava rotas de São Paulo e Rio de Janeiro para Roma, ao longo de seus anos no Brasil. Em algumas ocasiões serviu a cidade de Milão.

Rotas operadas nos últimos 5 anos com carga de e para o Brasil

Com a pandemia de Covid-19 a Alitalia acabou realizando alguns voos para localidades onde nunca tinha operado no Brasil, como Belo Horizonte e Curitiba, além de ter retornado a Recife, que nos anos 70 recebeu voos em escala para o Brasil, com o Douglas DC-8.

Voos em Operação de e para o Brasil

A Alitalia deixou de operar oficialmente em 14 de outubro de 2021. A companhia será substituída pela ITA Airways (Italia Transporto Aereo) e poderá operar em São Paulo a partir de 30 de março de 2022.

Participação de Mercado – Passageiros

Nos últimos três anos sempre foi a líder de mercado nos trechos Brasil – Itália e Itália – Brasil, conforme quadros abaixo.

Participação de Mercado – Carga

No transporte de carga também operou sendo a líder de mercado nos últimos anos, em ambos os trechos, conforme dados abaixo.

Frota da Empresa

A última atualização de frota da empresa data de 12 de outubro, tanto na Alitalia quanto na Alitalia CityLiner.

Deixe uma resposta