Azul recebe homologação para operar no Santos Dumont com o Airbus A320Neo sob condições meteorológicas adversas

Foto: Alexandre Barros

Desde o último sábado (3), a Azul Linhas Aéreas se tornou a mais nova aérea do país a receber da Anac a homologação RNP-AR 0.1, procedimento que permite que aviões realizem procedimentos de aproximação no aeroporto carioca mesmo em cenários climáticos desfavoráveis. Por enquanto, a certificação é exclusiva para aeronaves modelo Airbus A320neo.

Considerado o mais exigente dentre as certificações da Anac, o RNP-AR 0.1 deixa a frota de Airbus da Azul muito menos exposta a alternar voos devido ao mau tempo, especialmente durante o inverno, em que há a presença de nuvens baixas no entorno do aeroporto fluminense.

Com o novo procedimento, aviões da companhia têm autorização para manter aproximações de maior precisão até uma altura de até 300 pés (equivalente a um prédio de 30 andares), mesmo sob condições adversas. Sem o uso do RNP-AR 0.1, essas aproximações só podiam ser realizadas até 950 pés (equivalente a um prédio de 95 andares). Ou seja, as aterrisagens passam a ocorrer em condições de baixa visibilidade, mas em total segurança.

“o RNP-AR 0.1 é uma navegação baseada em satélites e que exige uma sintonia muito precisa entre aeronave, operador aéreo e tripulação. Conquistar essa autorização era fundamental para a operação no Santos Dumont, já que ela amplia o nosso patamar operacional, mantém a segurança das aeronaves e torna a Experiência Azul para quem voa – de e para o Santos Dumont – muito mais completa. Esse projeto fluiu de forma fantástica e com muito engajamento de todos os participantes e nossa expectativa é de reduzir o número de voos alternads em 23%”, destaca Guilherme Holtmann, Gerente Geral de Flight Standards e Treinamento da Azul, que comandou os treinamentos para a certificação da aeronave.

Para obter a certificação, a Azul envolveu diversas áreas da companhia, além de equipes da Anac. “Só da Azul foram mobilizados cerca de 30 profissionais, entre pilotos, engenheiros, controladores de voo e planejadores de escala. E cumprimos todas as etapas do processo em menos de quatro meses, antes do prazo estabelecido pelo comitê executivo da companhia. Realizamos mais de 75 voos comerciais simulando o procedimento e treinamos cerca de 170 pilotos também nos simuladores até a aprovação final da Anac”, comemora Holtmann.

O próximo objetivo da companhia é iniciar os trabalhos para certificar a frota de jatos de nova geração da Embraer, os 195 E2, para operações em procedimento RNP-AR 0.1.

Deixe uma resposta