Demanda anual de carga cai 3,5% em outubro

67
Foto: Assessoria de Imprensa

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) anunciou os resultados dos mercados globais de transporte aéreo de carga, mostrando que a demanda, medida em toneladas de carga por quilômetro (FTKs), caiu 3,5% em outubro de 2019 em relação ao mesmo período de 2018, marcando um início fraco da tradicional temporada de pico no transporte aéreo de carga e o 12º mês consecutivo de queda nos volumes de carga aérea na comparação ano a ano.

A capacidade de carga, medida em toneladas de carga disponível por quilômetro (AFTKs), aumentou 2,2% na comparação ano a ano em outubro de 2019. O crescimento da capacidade foi maior que o crescimento da demanda pelo 18º mês consecutivo.

Nos últimos 12 meses, o transporte aéreo de carga sofreu os efeitos da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, da deterioração do comércio global e da ampla desaceleração do crescimento econômico.

“A alta temporada da carga aérea começa com frustração, apresentando queda de demanda de 3,5% em outubro. A demanda deve diminuir em 2019 em geral, com o resultado anual mais fraco desde a crise financeira global. Foi um ano muito difícil para o setor de carga aérea”, disse Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da IATA.

Desempenho por região

As companhias aéreas da Ásia-Pacífico e Oriente Médio sofreram quedas acentuadas no crescimento ano a ano do volume total de transporte aéreo de carga em outubro de 2019, enquanto as companhias aéreas da América Latina tiveram um declínio mais moderado. A África foi a única região a registrar crescimento da demanda de transporte aéreo de carga em relação a outubro do ano passado.

As companhias aéreas da Ásia-Pacífico apresentaram redução de 5,3% da demanda por carga aérea em outubro de 2019 em relação ao mesmo período de 2018. A capacidade aumentou 0,6%. As guerras comerciais entre os Estados Unidos e a China e entre a Coreia do Sul e o Japão causaram grande impacto negativo nesta região. Além disso, a paralisação das operações no Aeroporto Internacional de Hong Kong – o maior hub de carga do mundo – ainda afeta as atividades de carga. Por outro lado, as relações comerciais entre os Estados Unidos e a China se acalmaram e as principais economias da região registraram crescimento econômico robusto.

As companhias aéreas da América do Norte relataram queda de 2,4% na demanda de outubro de 2019 em relação ao mesmo período de 2018. A capacidade aumentou 3,1%. A força da economia dos Estados Unidos ajudou a carga aérea doméstica superar o desempenho internacional, que, conforme observado acima, também sofreu com as tensões comerciais com a China.

As companhias aéreas da Europa registraram queda de 1,5% na demanda por transporte aéreo de carga em outubro de 2019 em relação ao mesmo período de 2018, uma melhora significativa em relação à queda de 3,5% registrada em setembro. A atividade econômica foi melhor que o esperado no terceiro trimestre em várias das grandes economias da região, o que ajudou a impulsionar a demanda. A capacidade aumentou 2,8% na comparação ano a ano.

As companhias aéreas do Oriente Médio relataram redução de 6,0% no transporte aéreo de carga em outubro de 2019 em relação ao mesmo período de 2018. Esta foi a maior queda na demanda por transporte aéreo de carga entre todas as regiões. A capacidade aumentou 0,9%. Em um cenário de desafios operacionais e geopolíticos enfrentados por algumas das principais companhias aéreas da região, os volumes de frete com ajuste sazonal retomaram uma modesta tendência de alta, que é uma boa notícia para as transportadoras da região.

As companhias aéreas da América Latina apresentaram queda de 2,6% na demanda por carga aérea em outubro de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado. Vários obstáculos sociais e econômicos nas principais economias da região afetaram negativamente o desempenho do transporte aéreo de carga da região. A capacidade teve queda de 2,3% na comparação ano a ano.

As companhias aéreas da África registraram em outubro de 2019 o maior crescimento entre as regiões, com aumento na demanda de 12,6% em relação ao mesmo período de 2018. Os fortes vínculos comerciais e de investimento com a Ásia contribuíram para o desempenho positivo. Os volumes de frete nas principais rotas entre a África e a Ásia aumentaram 23% em setembro na comparação ano a ano (dados mais recentes disponíveis). A capacidade cresceu 13,9% em relação ao ano anterior.

Deixe uma resposta