Aeroporto de Aracaju

Infodados produzido pelo Portal Aviação Brasil mostra as cidades servidas por voos a partir do aeroporto (share) e a participação de cada empresa aérea (share) na composição da concorrência.

Foto: Divulgação Infraero
Atualizamos os números operacionais do Aeroporto de Aracajú, em Sergipe. Neste trabalho inédito apresentamos informações do histórico de passageiros embarcados e desembarcados no aeroporto de 2000 a 2020, a participação de mercado das empresas em operações domésticas nos últimos 5 anos, entre 2016 e 2020, e finalizando com os voos vigentes no aeroporto.

Vejam os números operacionais do aeroporto, atualizados pelo Portal Aviação Brasil

Participação de mercado dos últimos 5 anos, das empresas que operam em Aracajú, voos domésticos de passageiros

Um pouco da história

Os dados antes do ano 2000 estão sendo levantados pela equipe de dados do Aviação Brasil.

Voos em Operação

Um pouco da história do aeroporto

O pouso de um bimotor da Força Aérea Brasileira (FAB) inaugurou a pista de 1,2 mil metros de comprimento do Aeroporto de Aracaju/Santa Maria (SE), há 66 anos, completados no último dia 30 de outubro. Mais tarde, em janeiro de 1958, a chegada do presidente Juscelino Kubitschek, a bordo de um bimotor Convair (CV) 440 Metropolitan, da Real, oficializou o início das operações comerciais do Santa Maria.  Localizado na zona sul da capital e distante 12 km do centro, é o único aeródromo público que recebe voos regulares no estado. Nove anos após a criação do aeroporto, teve início, em 1961, a primeira ampliação da pista de pouso e decolagem, passando dos 1.200 para 1.500 metros de comprimento. O edifício do terminal de passageiros passou de 800 para 1,2 mil m². A partir de 1975, o Aeroporto de Aracaju ficou sob a responsabilidade da Infraero.  Nas décadas seguintes, foram realizadas novas reformas. Entre 1983 e 1984, o aeroporto ganhou uma nova fachada e teve o seu terminal de passageiros ampliado para 1,8 mil m². Em 1993, a pista do foi ampliada, passando a ter 2,2 mil metros de comprimento.   Em 1998, a Infraero inaugurou um novo terminal de passageiros com 10 mil m², salas de embarque e desembarque climatizadas, elevadores, escadas rolantes, sistema de TV e vigilância e sistema informativos de voos. Uma nova etapa de obras foi iniciada em 2013. Os serviços contemplaram a ampliação da pista dos atuais 2,2 mil para 2,78 mil metros, além da construção de novas áreas de escape, aprimorando a segurança das operações. O sistema de pistas também recebeu quatro novas taxiways (pistas de manobra de aeronaves). Outros serviços previstos envolveram a criação de uma área para testes de motores, a revitalização do balizamento luminoso e o recapeamento da pista. Em dezembro de 2014, foram concluídas novas obras. Os serviços incluíram várias melhorias, como o aprimoramento dos sistemas de drenagem de águas pluviais e a recuperação de telhas metálicas e da estrutura da cobertura. O mesmo processo de reforma foi executado nas duas áreas referentes aos terminais de passageiros, que receberam ainda reparos nos sistemas de ar condicionado e nas instalações elétricas. O aeroporto funciona 24 horas. Os passageiros contam com uma oferta de 28 estabelecimentos, entre alimentação e serviços. São oito restaurantes e ou lanchonetes distribuídas entre praça de alimentação, saguão, salas de embarque e na área externa do terminal de passageiros. Além dessas opções para refeições e lanches, o passageiro encontra serviços como uma revistaria; duas lojas de souvenires; uma de artesanato em renda e mais uma de confecção masculino/feminino; três caixas eletrônicos; uma agência dos Correios; cinco locadoras de carro, além de outras facilidades. Em termos de mobilidade, há uma cooperativa de táxi cadastrada e três linhas de ônibus do transporte público (Aeroporto/Zona Sul; 17 de março/D.I.A e Porto Sul/Bairro Industrial) que ligam o terminal a toda capital. Nas duas salas de embarque, há 24 tomadas em totens. Já em área pública, no saguão do terminal de passageiros, quem quiser, por exemplo, recarregar o celular, encontra dois totens, que somam 16 tomadas. O aeroporto executou no final de 2018 as obras de recuperação do pavimento flexível da taxiway (faixas de taxiamento) e de áreas do pátio, compreendendo uma extensão de, aproximadamente, 3.900 m². O Aeroporto de Aracaju tem capacidade para receber até 4 milhões de passageiros por ano e movimenta, diariamente, uma média de 3 mil passageiros e 16 voos comerciais regulares, além de atender a operação de helicópteros para as plataformas de petróleo no litoral de Sergipe e Alagoas. Em outubro o aeroporto ganhou novas opções de voos! Serão oferecidas duas novas rotas, uma da Azul Linhas Aéreas com destino a Campinas e outra da Latam para Guarulhos, em São Paulo. Além disso, os passageiros que desejarem voar para Guarulhos também poderão contar com mais quatro frequências semanais da Gol, que passará a operar diariamente no terminal sergipano. As novas rotas e frequências terão início a partir do dia 27 de outubro e oferecerá um aumento de cerca de 1 mil novos assentos para quem optar voar pelo Aeroporto de Aracaju. Os voos com destino a Campinas serão realizados por um Embraer 195, com capacidade para 118 passageiros. O Boeing 737-800 da Gol e o Airbus A321 da Latam farão os trechos para Guarulhos, as aeronaves comportam 188 e 220 viajantes respectivamente. Desde o mês de agosto, o Aeroporto de Aracaju passou a oferecer seis novas frequências semanais operadas pela Azul para Salvador. “As novas rotas ampliam a malha área sergipana e abrem portas para futuros voos. Esperamos que os novos voos ofertados atraiam mais passageiros, gerando um aumento significativo no movimento de passageiros até o final deste ano”, destacou o superintendente do terminal de Aracaju, Wanderson Silva. Atualmente operam no terminal as companhias Azul, Gol e Latam, com voos regulares que ligam Aracaju às cidades de Campinas (SP), Guarulhos (SP), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), Salvador (BA) e Recife (PE).

Fonte: Infraero (editado por Aviação Brasil)

Deixe uma resposta