Foto: Alexandre Barros

A Air Canada iniciou seus voos em 1937 como Trans Canada Airlines. O primeiro voo foi entre Vancouver e Seattle, nos Estados Unidos, utilizando um Lockheed 10A. Em 1938 iniciou voos regulares para a Escócia com um Avro Lancaster convertido. As rotas para a Alemanha tiveram início logo após a II Guerra Mundial, assim como para outras cidades europeias. Aeronaves como o Douglas DC-3, Lockhhed Constelations, Lockheed Super Constelations (L1049), Canadair North Stars, Bristol 170 cargueiro e Vickers Viscount, estes em meados dos anos 50, fizeram parte de sua frota. No início de 1960 os Vickers Vanguard chegaram a frota.

Em abril de 1960 o Douglas DC-8 foi o primeiro jato a fazer parte da frota da empresa e vieram para substituir os Super Connies. O nome TCA foi substituído por Air Canada em 1964 e os Douglas DC-8 continuaram chegando e substituindo os aviões a pistão. Em 1967 os Douglas DC-9-30 começavam a substituir os Viscount na frota. Os DC-8 foram usados até abril de 1983 como passageiros. No início dos anos 70 chegaram os Boeing 747-100/200 e Lockheed Tristar Series 1 e 500. No início dos anos 80 os modernos Boeing 767-200 chegaram a frota.

Com a privatização da empresa em 1989 houve uma mudança na identidade visual e a chegada de novas aeronaves como os Airbus A320 e A340.

Em 1999 a empresa adquiriu a Canadian Airlines e assumiu as rotas internacionais, incluindo a Toronto – São Paulo – Buenos Aires que era realizada com Boeing 767-300ER.

Em julho de 2001 a Air Canada substituiu o Boeing 767-300ER pelo Airbus A340-300 na rota para o Brasil e passou a alternar as aeronaves conforme demanda. Em 2004 anunciou a encomenda de 45 jatos Embraer 190 e 15 jatos Embraer 175.

Em abril de 2005 a empresa encomendou 18 Boeing 777, entre as versões 200LR, 300ER e Cargo, além de 14 Boeing 787-8 e Boeing 787-9. Em junho de 2011 anunciou que todos os voos que eram operados com o nome de Jazz Aviation seriam operados com um novo nome, Air Canada Express.

No final de 2012 passou a utilizar o Boeing 777-300ER na rota de São Paulo, na alta temporada. Em dezembro de 2014 inaugurou o voo Toronto – Rio de Janeiro (operou até outubro de 2016) e em março de 2015 assinou um acordo de codeshare com a Gol.

Em maio de 2016 assinou acordo de codeshare com a Avianca Brasil. O Boeing 787-9 Dreamliner da Air Canada substituiu o Boeing 767-300ER, que operava a rota diária entre São Paulo e Toronto, em março de 2017. Na alta temporada era substituído pelo Boeing 777-300ER na rota.

Em outubro de 2016 a companhia deixou de operar a rota RJ – Toronto – RJ. Em 2017 iniciou os voos com Boeing 787 na rota para São Paulo.

Desde 2016 opera sem concorrência a rota Brasil – Canadá, visto que a Latam Airlines Brasil deixou de operar a rota, que iniciou em 2015.

Os anos de 2017 a 2019 foram de consolidação da companhia, com ótimos serviços, tanto a bordo quanto como os demais benefícios ofertados aos seus clientes. Tanto que em 2019 foi o ano com o maior volume de passageiros transportados na rota.

Tudo caminhava para um 2020 ainda melhor, quando a pandemia de covid-19 assombrou o mundo e resultou em perdas financeiras mundo afora, diante da gravidade da doença. Voos cancelados, aviões no chão! A companhia fechou 2020 com um total de 82.859 passageiros embarcados e desembarcados na rota, um queda de 64% comparado a 2019.

Somente em 7 de setembro de 2021 o governo canadense reabriu suas fronteiras e os números de passageiros desse ano de e para o Brasil foram somente de cidadãos canadense ou residentes, que, nos poucos voos que ocorreram, conseguiram embarcar nas condições impostas pelo governo.

Abaixo o número de passageiros e carga transportada de e para o Brasil nos últimos 5 anos.

Rotas operadas nos últimos 5 anos com passageiros de e para o Brasil

O quadro abaixo representa o percentual do total de passageiros transportados de e para o Brasil pela Air Canada, e nota-se a abertura da rota de Montreal ocorrida em 2019 para a capital paulista.

Rotas operadas nos últimos 5 anos com carga de e para o Brasil

Com relação ao transporte de carga, até 2019, eles estavam restritos as rotas regulares operadas. Com a pandemia de Covid-19, em 2020, a maioria dos voos que aconteceram atenderam a rota de Toronto, mas também houveram voos de Miami, Montreal e Vancouver.

É uma companhia integrante da Star Alliance. Veja quais são as empresas integrantes.
Adria Airways, Aegean Airlines, Air Canada, Air China, Air India, Air New Zealand, ANA, Asiana Airline, Austrian, Avianca, Avianca Brasil, Brussels Airlines, Copa Airlines, Croatia Airlines, EGYPTAIR, Ethiopian Airlines, Eva Air, LOT Polish Airlines, Lufthansa, Scandinavian Airlines, Shenzhen Airlines, Singapore Airlines, South African Airways, SWISS, TAP Portugal, THAI, Turkish Airlines e United.

Voos em Operação do Brasil

Os voos da Air Canada estão ocorrendo às segundas, terças, quartas e sábados, com Boeing 787-9, voo 91. A partir de 31 de outubro, haverá a troca de equipamento na rota, entrando o Boeing 777-300ER no lugar do Dreamliner, às segundas, quartas, sextas, sábados e domingos. A partir de 7 de dezembro haverá o acréscimo de voos às terças e quintas, deixando o voo diário novamente.

Vale dizer também que o voo 97 para Montreal voltará a operar em 9 de dezembro, às segundas, quartas, quintas e sábados, com o Boeing 787-8, exceto às quartas, quando será utilizado o Boeing 787-9.

Participação de Mercado (Passageiros)

Desde 2017 a Air Canadá opera sozinha na rota. É imperceptível a queda de passageiros diante da pandemia.

Participação de Mercado (Carga)

Nos últimos três anos a companhia transporta praticamente toda a carga do Brasil para o Canadá. Com a pandemia a queda no volume entre os dois países foi de 37%. A Atlas Air fez pouca concorrência em 2019 e em 2020, no sentido Canadá, a 21 Air.

Frota da Empresa

Deixe uma resposta