South African Airways (África do Sul)

4173

Em 1 de março de 1934 a união sul-africana adquiriu todos os assentos e linhas da empresa privada Union Airways e criou uma nova empresa nacional, a South African Airways. A South African iniciou seus voos naquele mesmo ano com uma aeronave Junkers F-13, monomotor fabricado na Alemanha. Pouco tempo depois adicionou um Junkers JU-52 trimotor e um Junkers JU-86. A empresa começou a voar em rotas não regulares, “charters”, entre Capetown, Durban e Johannesburg.

Entre 1934 e 1945 abriu novas rotas na África para países como Kenya e Uganda. O primeiro serviço internacional foi ligando Palmietfontein na África do Sul para Bournemounth na Inglaterra em 1945 com um Avro York Bomber. Após a II Guerra Mundial, a SAA utilizou as aeronaves Douglas DC-4 e Constellations para operar serviços na Europa. Em 1957 chegaram os primeiros Douglas DC-7. Em 1958 operou a aeronave Vickers Viking, que operou por pouco tempo, enviando-os a BEA, substituindo-os pelos Viscount.

Em 1960 chegaram 3 Boeing 707-320 que chegaram a operar em conjunto com os Constellations nas linhas internacionais. Neste ano, os 707 iniciaram seus voos para a Europa e Inglaterra com o primeiro voo non-stop em 1962. Em 1963 foi a pioneira a lançar voos para a Europa pela costa oeste da África. Em 1965, para substituir os Douglas DC-4, chegaram os Boeing 727-100 e três anos mais tarde os primeiros Boeing 737-200. Em 1969 a SAA começou a voar para o Brasil, com seu Boeing 707. Em 1971 recebeu os primeiros Boeing 747-200 para iniciar uma substituição gradativa de seus Boeing 707. Ainda no início dos anos 70 recebeu outra versão do Boeing 747, a Special Performance, muito vista no Brasil.

Em 1973 lançou voos para Hong Kong que se estendeu a Taiwan em 1980. No final desta década, chegaram o Airbus A300 e no início dos anos 80, o Boeing 747-300. Em 9 de dezembro de 1982 o Boeing 747SP Maluti pousou no aeroporto de Houston, abrindo uma nova rota transoceânica na companhia. Em 15 de abril de 1983 o primeiro Boeing 747-300SUD operou na empresa na linha para Londres. Em fevereiro de 1985 a empresa decidiu suspender os voos para Buenos Aires e manter somente o Rio de Janeiro na rota sul americana. Em 1988 este voo do Rio de Janeiro era realizado quinzenalmente. No ano seguinte, passou a ser semanal, com escala na Cidade do Cabo.

Em 1990 a SAA foi eleita pelo 3º ano consecutivo como a melhor companhia aérea da África. Em 20 de janeiro de 1991 recebeu o primeiro Boeing 747-400. Em 3 de novembro de 1991 reiniciou os voos para New York suspensos desde 1986 por sanções econômicas. Em 9 de novembro de 1991 recebeu o primeiro Airbus A320. Em 18 de janeiro de 1992 reiniciou os serviços para a Austrália. Em 16 de janeiro de 1993 iniciou code-share com a VARIG. Em 25 de março de 1994 lançou a SA Express para voos domésticos. Em 1996 sua oferta no Brasil era de dois voos semanais com o Boeing 747SP. Em 22 de março de 1997 introduziu uma nova identidade visual, a que vimos atualmente em suas aeronaves. Em 1 de dezembro de 1998 começou a operar a linha Johannesburg – São Paulo – Buenos Aires – Johannesburg. Em 1 de julho de 1999 a empresa passou a operar com o Boeing 747-200 no lugar do Boeing 747SP.

Em 12 de janeiro de 2000 a companhia anunciou compra de 21 Boeing 737NG para substituição dos antigos 737. Em 2003 começou a operar com o Airbus A340-300 na rota de São Paulo. Em 2006 passou a integrar a Star Alliance.

Entre 2012 e 2013 alternou e complementou os voos para o Brasil com aeronaves Airbus A330-200 e A340-300. A South African Airways recebeu em 2013 o maior prêmio da revista Global Traveler, sendo reconhecida como a “Companhia Aérea do Ano” pelos viajantes globais e fãs do turismo de luxo, segundo a publicação. A SAA foi citada como “favorita” pelos leitores da revista e “como perfeita representante da personalidade, do carisma e da cultura da África do Sul”. Em agosto de 2013 a TAM Linhas Aéreas e a South African Airways (SAA) iniciaram um acordo bilateral de compartilhamento de voos (codeshare).

Em maio de 2016 a Avianca Brasil anunciou que implementou um acordo de code-share também com a South African Airways, sua parceira na aliança global Star Alliance. A empresa recebeu em 2 de dezembro a primeira das cinco aeronaves Airbus A330-300 compradas da Airbus. O A330-300 tem autonomia para até 15 horas de voo e 11.750km (6.350 milhas náuticas), configurado para 203 assentos na classe econômica e 46 na business class.

Foi eleita por clientes ao redor de todo o mundo na posição 41ª do Skytrax World Airline Awards 2016, que é “o Oscar da indústria da aviação”. São os prêmios de qualidade mais cobiçados para a indústria aérea mundial, e um referencia global de excelência aérea. É uma “4 Star Arline Skytrax”.

A South African Airways anunciou a assinatura de um acordo de compartilhamento de voos (codeshare) com a Gol. A parceria possibilitará a South African Airways, neste primeiro momento, incluir seu código em voos operados pela Gol, o que permitirá aos seus clientes realizarem conexões integradas em voos de ambas as empresas.

Além disso, as empresas também assinaram o acordo de Frequent Flyer Program (“FFP”), que já está em vigor, e torna possível o acúmulo e o resgate de milhas aos 16 milhões de clientes do programa de relacionamento Smiles, da Gol, que viajarem em voos operados pela South African Airways, bem como o acúmulo e resgate de pontos do programa Voyager da SAA nos voos operados pela Gol.

Voos Operados do Brasil

Frota da Empresa

Deixe uma resposta