Gol completa 18 anos de operações no Aeroporto Santos Dumont

77
Foto: Alexandre Barros

No último dia 29 de novembro, a Gol Linhas Aéreas comemorou o aniversário de 18 anos de sua base no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, inaugurada em 2001. É uma data que quase coincide com a criação da empresa, já que ambas têm praticamente a mesma idade. A operação, que atinge a maioridade, vem rodeada de superlativos.

A Gol é líder em oferta de assentos entre os aeroportos de Congonhas (CGH) e Santos Dumont (SDU), uma das pontes aéreas mais movimentadas do mundo. Nesse trecho interestadual, a empresa disponibiliza 52 voos diários de meia em meia hora durante manhã, tarde e noite, em dias úteis, com duração média de 50 a 60 minutos. Esse mercado se expande ainda mais entre as capitais quando são considerados os novos voos criados que partem do Santos Dumont e do Galeão (GIG) rumo ao Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU Airport).

“Com o aumento de 48 para 52 voos diários entre o Santos Dumont e Congonhas, houve um acréscimo de 24% no número de assentos ofertados, resultando em um total de 248 mil assentos/mês. São mais opções para quem deseja voar com a Gol”, afirma Eduardo Bernardes, vice-presidente de vendas e marketing da Companhia.

A Gol também celebra outra marca memorável: desde 2015, a empresa está à frente das congêneres na oferta de assentos para o Rio de Janeiro no mercado doméstico nacional. Levando em consideração os aeroportos de Santos Dumont e Galeão, a empresa detém 56% do disputado mercado. Só nos cinco primeiros meses deste ano, foram transportados mais de 450 mil passageiros apenas na ponte aérea. Para a alta temporada, que tem início em dezembro e segue até março de 2020, a empresa incrementou em 1.500 as ofertas de voos para todo do Estado do Rio de Janeiro.

Os números continuam impressionando. Semanalmente, são 570 decolagens entre as metrópoles, só para o Santos Dumont – somadas as que se destinam ao Galeão, 830 semanais, o número chega a 1.400 partidas. E o fluxo maior de passageiros se dá no sentido da capital fluminense para a capital paulista.

O trecho é operado na maioria das vezes com o Boeing 737-800, cuja capacidade é de 186 passageiros. Em parceria com a Boeing, a Gol desenvolveu e instalou o pacote de melhorias Short Field Performance (SFP), solução que incrementa o desempenho dos aviões na decolagem e aterrissagem em pistas curtas, um acréscimo de precisão, conforto e segurança. É a primeira empresa do setor a utilizar uma aeronave desse porte na pista do Santos Dumont.

Deixe uma resposta