Gol faz contrato de venda e arrendamento de 11 Boeing 737NG

A venda dessas aeronaves reduzirá a dívida líquida da Gol em aproximadamente R$500 milhões

770
Foto: Alexandre Barros

A Gol Linhas Aéreas anunciou a celebração de contratos de venda e arrendamento de 11 aeronaves Boeing 737 Next Generation (NG) com a Carlyle Aviation.

Isso acelerará ainda mais a renovação da frota da Gol e a desalavancagem do balanço. A Gol pretende substituir esses NGs por aeronaves Boeing 737 MAX-8 durante os próximos anos.

A venda dessas 11 aeronaves reduzirá a dívida líquida da Gol em aproximadamente R$500 milhões, composta por uma redução de R$130 milhões na dívida de arrendamento financeiro e um aumento de R$370 milhões na liquidez de caixa.

Posteriormente, a Companhia planeja utilizar aproximadamente R$330 milhões desses recursos para resgatar o montante disponível de suas Senior Notes de 8,875%, com vencimento em 2022. A receita de gerenciamento de ativos e a redução na despesa de juros contribuirão com mais de R$420 milhões no lucro da Companhia em 2020, e melhorará os indicadores creditícios da Gol, reduzindo a relação dívida líquida/EBITDA em 0,2x e melhorando a relação EBITDA/despesa de juros líquidos em 0,5x.

“A Gol acelerou seu plano de renovação e modernização de frota tendo em vista as condições favoráveis do mercado para transações de aeronaves Boeing 737 NGs”, disse Richard Lark, Vice-Presidente Financeiro da Gol. “Nosso histórico de ganhos consistentes obtidos a partir de nosso portfólio de aeronaves tem proporcionado a criação contínua de valor para todos os acionistas da Gol”.

Desde 2005, quando a Gol firmou seu primeiro pedido de 80 aeronaves Boeing 737s, a Companhia obteve mais de R$1,5 bilhões em ganhos em seu portfólio de aeronaves. O pedido de 2005 possuía 40 aeronaves financiadas com uma garantia do Ex-Im Bank dos EUA e 40 aeronaves financiadas por transações de venda e arrendamento. Todas as aeronaves da Gol foram vendidas para partes não relacionadas, com ganhos, e todos os recursos foram utilizados para pagar as devoluções de aeronaves e reduzir os endividamentos garantido e não-garantido.

No processo de transformação da frota da Gol para aproximadamente 50% de aeronaves Boeing MAX até 2025, espera-se criar mais de R$4,0 bilhões em valor para todos os acionistas da Gol, composto por mais de R$2,0 bilhões de valor patrimonial em aeronaves (ativos) e mais de R$2,0 bilhões em crescimento da receita operacional, decorrente de maior produtividade da receita e menor consumo de combustível.

“A sofisticada disciplina de capacidade da Gol nos permite operar a um custo menor do que outras companhias aéreas menos eficientes, e a venda desses 11 NGs reforça a flexibilidade do nosso plano de frota”, disse Celso Ferrer, Vice-Presidente de Operações da Gol.

A renovação acelerada da frota não alterará a capacidade planejada da Gol, uma vez que essas aeronaves serão devolvidas simultaneamente com o recebimento de aeronaves 737 MAX-8, conforme o pedido da Companhia com a Boeing.

A Gol está comprometida em dimensionar sua frota para impulsionar ainda mais a eficiência operacional. Até 2025, aproximadamente 50% da frota será composta por 737 MAXs. Nos próximos cinco anos, a transição para o MAX deve aumentar a produtividade em mais de 20% e reduzir o consumo de combustível em aproximadamente 15%.

“Acreditamos que o Boeing 737 é a melhor aeronave para o mercado brasileiro devido à sua capacidade de atingir mais de 13 horas de utilização de aeronaves em mercados de alta densidade. Isso suporta nosso modelo de gerenciamento de capacidade altamente flexível, além de fornecer alta liquidez e consistência de valor de mercado em nossa frota”, acrescentou o Sr. Ferrer.

Deixe uma resposta