Em dezembro de 1945 surgia a Redes Estaduais Aéreas Limitada, fundada por Vicente Neto e Linneu Gomes com 3 Douglas C-47. Em dezembro de 1946 o nome da empresa foi alterado para Real S/A Transportes Aéreos.

Em 7 de fevereiro de 1946 a Real realizou seu primeiro voo, partindo de Congonhas para o Rio de Janeiro. Quatro meses depois o número de voos entre as cidades aumentou para três por dia, além de uma linha para Curitiba. Em outubro de 1946 a empresa recebia dois Bristol 170 Wayfarer, de 36 assentos, que passaram a ser utilizados entre o RJ e SP. Em 15 de maio de 1947 a Real inaugurava a linha São Paulo – Londrina. Em 10 de novembro, a linha São paulo – Curitiba, foi estendida até Porto Alegre. No início de 1948 a companhia começou a operar de São Paulo para Rio Preto,com escalas. Em 1948 os Bristol foram retirados de operação devido o encontro de uma ruptura na fuselagem de um dos aparelhos, mas naquele ano, a Real já possuía 12 Douglas DC-3. Em março de 1948 a Real adquiriu a Linhas Aéreas Wright.

Em maio de 1950 adquiriu a Linhas Aéreas Natal, fazendo chegar a 20 os Douglas C-47 da frota e pode assumir as linhas dessa empresa de São Paulo a Belo Horizonte, podendo chegar a Corumbá (MT). Em agosto de 1951 adquiriu a Linha Aérea Transcontinental Brasileira, aumentando suas linhas para o nordeste, entre elas seis capitais. Em 10 de dezembro de 1951 o governo paraguaio autorizou a Real a operar a sua primeira linha internacional, que seria São Paulo – Curitiba – Foz do Iguaçu – Assunção. Em 4 de fevereiro de 1954 foi autorizada por aquele governo a abrir a linha Uruguaiana – Encarnacion – Assunção. Em 8 de julho de 1954 começou a modernização da frota da empresa com a chegada do primeiro dos seis Convair CV-340 encomendados pela Aerovias. Em setembro de 1954 adquiriu a Aerovias Brasil e em 15 de novembro outra linha paraguaia seria aberta, a Corumbá – Concepcíon – Assunção. Em agosto de 1956 adquiriu a Transportes Aéreos Nacional. Naquele ano o Consórcio Real-Aerovias-Nacional operava 12 voos diários entre o Rio de Janeiro e São Paulo, 12 voos diários entre o Rio de Janeiro e Belo Horizonte, 7 voos diários entre São Paulo e Curitiba, 3 voos diários entre São Paulo e Londrina, e 3 voos diários entre São Paulo e Belo Horizonte. Em 15 de setembro de 1956 a Real aumentou sua presença nos Estados Unidos, chegando a Chicago. Segundo o IATA, a Real em 1957 era a sétima empresa do mundo em número de aeronaves, a oitava em load factor e a décima-nona em toneladas quilômetro. Inaugurou uma linha para Brasília em 3 de maio de 1957. Em 1958 a Real recebeu 3 Lockheed Super Constellation 1049H e em 19 de novembro começou a operar até Los Angeles com escalas em Manaus, Bogotá e Cidade do México. A frota depois de todas as aquisições tinha 86 Douglas DC-3/C47, 12 Curtiss C46, 6 Convair CV-340, 6 Convair CV-440, 3 Douglas DC-4 e 4 Super H Constellation. 

Em 1960 a Real transportava 12 milhões de passageiros ao ano e voava também para sete países. Em 9 de julho de 1960 a Real passou a voar para Tóquio, com escalas em Los Angeles e Honolulu. Ainda em 1960 a Real comprou 3 aviões Lockheed Electra II da American Airlines, com mais duas opções. Estas aeronaves foram recebidas depois pela Varig, que a operou com muito sucesso na ponte aérea Rio – São Paulo.

Porém, em agosto de 1961, com graves problemas financeiros, a todo o consórcio Real-Aerovias-Nacional foi vendido para a Varig.

Deixe uma resposta