NAB – Navegação Aérea Brasileira (Brasil)

1229
Foto: Autor Desconhecido (Douglas DC-3/C-47)

Em 28 de fevereiro de 1940 foi constituída a diretoria da NAB – Navegação Aérea Brasileira, através de uma assembleia. Em maio seus diretores encomendaram 2 Beechcraft 18 que chegaram de navio ao Rio de Janeiro em 2 de janeiro de 1941. O prefixo das aeronaves era PP-NAA e PP-NAB.

Em 28 de março de 1941 operou sua primeira linha, ligando o Rio de Janeiro a Belo Horizonte, Bom Jesus da Lapa, Petrolina e Recife, antes de ser aprovada as operações da empresa, que deu-se em 5 de maio.

Em 6 setembro de 1941 a companhia iniciou uma linha para a capital pernambucana pelo litoral, partindo do Rio de janeiro, mas não pode mantê-la, por não contar com o apoio da infraestrutura terrestre exigida por sua frota, que, na ocasião, além dos 2 Beechcraft 18 vindos dos Estados Unidos, já contava também com 1 Beechcraft 17 e 1 Fairchild 24.

Com subsídios do governo, recebidos em 1941 e 1942 a empresa expandiu sua frota comprando 2 Lockheed Loderstar e 1 Stinson Reliant. Naquele ano de 1942 a NAB transportou 2.384 passageiros e expandiu serviços para Bom Jesus da Lapa – Teresina e Belém. Em 1944 e 1945 recebeu novos subsídios do governo e comprou mais 3 Loderstar. Em maio de 1946 comprou dois Douglas DC-3 e em 1947 outro.

Com a criação desenfreada de inúmeras empresas no pós guerra, várias empresas competiam entre si e contra as empresas tradicionais e a NAB, que já não ia nada bem, ficou ainda pior.

Em março de 1948 a NAB suspendeu suas operações por dificuldades financeiras, apesar da ajuda do governo com os subsídios e em 17 de agosto de 1948 a empresa teve sua falência decretada.

Curiosamente após março de 1948 o governo assumiu as operações da NAB, talvez para tentar livrar a barra daqueles que forneceram os subsídios da empresa. Dois Douglas DC-3 foram arrendados para a Linha Aérea Transcontinental Brasileira e o outro passou a voar entre o Rio de Janeiro, Montes Claros, Governador Valadares e Vitória.

Em 1954 a situação da empresa era muito grave e Dilvo Peres, juntamente com a Panair do Brasil, começaram a reerguer a empresa. Em 1957 a empresa adquiriu 2 Curtiss C-46 e passou por total reestruturação. Em 1958 comprou 10 Douglas DC-3 da Panair do Brasil, com a qual realizou acordo operacional e passou a operar as linhas de Recife.

Em 1960 adquiriu mais 9 Curtiss C-46 e passou a operar vôos noturnos e mais baratos. Em 24 de outubro de 1961 a NAB foi comprada pelo Loide Aéreo Nacional, que posteriormente foi adquirido pela VASP.

Deixe uma resposta